Live ATC SBMG!



Copyright © 2009-2014 todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial.
NOTICE Unauthorized linking and use of audio feeds is prohibited. See LiveATC.net Terms of Service 

domingo, 17 de julho de 2011

Com três casos por semana, média de acidentes aéreos em 2011 é a maior da história, mostra Cenipa





O ano de 2011 tem marcado uma média recorde no número de acidentes aéreos no país, com três ocorrências a cada semana segundo dados do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos). Em média, segundo os dados do órgão, aviões se acidentam em um número quase sete vezes maior que os helicópteros.
O Cenipa considera ocorrência casos como queda, problemas no motor ou turbina, pouso de emergência, saídas de pista, colisão com objetos no solo ou no ar, entre outros.
Relatório do órgão ligado à Força Aérea Brasileira aponta que, no primeiro semestre do ano, foram registradas 77 ocorrências com aviões e helicópteros em todo o Brasil, o que dá uma média de 12,8 casos por mês. A média é bem superior à registrada historicamente.

Acidentes aéreos nos últimos anos

Ano Acidentes   Mortes
2001 73   78
2002 63   69
2003 70   67
2004 63   80
2005 58   36
2006 70  210
2007 102  271
2008 109   55
2009 113   65
2010 110   39
2011* 77   41
  • *Dados até 4 de Julho
  • Fonte: Cenipa
Entre 2001 e Junho de 2011, o país registrou 907 acidentes aéreos –com ou sem vítimas. Segundo o relatório, que traz dados anuais de acidentes, sem especificar casos, o maior número de ocorrências registradas no país ocorreu em 2009, quando 113 acidentes foram contabilizados, o que dá uma média de 9,4 por mês.
Dos 77 acidentes registrados até 4 de Julho deste ano no país, 67 foram com aviões e 10, com helicópteros. Um em cada cinco acidentes registraram mortos. Ao todo, os 15 acidentes mais graves resultaram em 41 mortos. Os acidentes causaram perda total de 17 das 77 aeronaves.
O número de óbitos é considerado baixo se comparado a outros anos, já que o recorde ocorreu em 2007 –ano do acidente com o avião da TAM no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, que matou 199 pessoas–, quando 271 pessoas perderam a vida.
O Cenipa não computa o acidente com o voo AF 447, da Air France, ocorrido em Junho de 2009, que matou 228 pessoas que iam do Rio de Janeiro para Paris, já que as investigações são de responsabilidade do BEA (Escritório de Investigação e Análise) do governo francês. O avião caiu no oceano Atlântico.
Segundo o Cenipa, o sistema de investigação e prevenção de acidentes aeronáuticos não trabalha com a "causa" de acidente, mas com fatores contribuintes. A meta é “prevenir novos acidentes e compreender a reunião e a análise de informações e a obtenção de conclusões, incluindo a identificação dos fatores contribuintes para a ocorrência, visando a formulação de recomendações sobre a segurança”.

Novos acidentes

Por abranger apenas o primeiro semestre de 2011, o relatório do Cenipa não traz em seus dados os dois acidentes ocorridos esta semana, que mataram 16 pessoas em Pernambuco e três em Santa Catarina.
Na quarta-feira (13), um avião com 16 pessoas, da Noar Linhas Aéreas, caiu entre Recife e Jaboatão de Guararapes, três minutos após decolar do aeroporto Gilberto Freyre. Todos os ocupantes da aeronave morreram. Nesta sexta-feira (15), um helicóptero modelo Esquilo caiu em uma área montanhosa de Jaraguá do Sul (SC), matando os três integrantes. Os dois casos já estão sendo investigados pelo Cenipa.
Este Junho, outro acidente que chamou a atenção foi a queda de um helicóptero na praia Ponte de Itapororoca, em Porto Seguro (BA), no dia 17 de Junho. Sete pessoas morreram, entre elas Gabriel Kfuri, 2, filho do vocalista do grupo Biquíni Cavadão, Bruno Gouveia; e Mariana Noleto, namorada do filho do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB).








FONTE : UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário